Mães que trabalham têm saúde melhor do que as que ficam em casa

Conciliar a vida de mãe com a carreira profissional é uma escolha que vale a pena para a saúde da mulher, segundo um estudo feito nos Estados Unidos. A pesquisa comparou as mães que ficam em casa, as que trabalham em apenas um turno, as que trocam muito de emprego e as que têm uma carreira consolidada, e chegou à conclusão de que esse último grupo é o mais saudável.

"O trabalho faz bem à saúde, tanto mental quanto fisicamente. Dá às mulheres um senso de propósito, de capacidade, de controle e de autonomia", afirmou Adrianne Frech, da Universidade de Akron, que liderou a pesquisa e a apresentou no encontro da Associação Sociológica Americana.

Segundo ela, o isolamento social e a dependência financeira das donas de casa acabam se transformando em fatores de risco para essas mulheres.

A comparação levou em conta aspectos como a agilidade, a disposição e os casos de depressão de mulheres com filhos, aos 40 anos de idade.

Se, de um lado, as mães com uma carreira consolidada têm a melhor saúde, do outro, as que mais sofrem são as que trocam muito de emprego. Em geral, elas não trocam por opção, mas sim porque são demitidas. A insegurança no trabalho e a necessidade de procurar uma nova função gera um desgaste que se reflete na saúde.

"Não permita que transições na vida como o casamento e a maternidade te façam investir menos na educação ou na ambição profissional, pois são as mulheres que abrem mão de mais coisas pela família", aconselhou Frech.

Fonte: G1