Proposta aprovada e luta pela manutenção dos direitos

Companheiros na Bridgestone dizem “sim” para acordo coletivo e seguem na batalha para que governo não mexa em suas conquistas

A Campanha Salarial 2017 tem sido diferente para os borracheiros. A busca por melhores salários e benefícios é uma das frentes de batalha dos trabalhadores. A outra é a luta pela manutenção dos direitos adquiridos, que estão ameaçados pela nefasta reforma trabalhista de Michel Temer.

Para os companheiros e companheiras na Bridgestone, a primeira etapa foi concluída com sucesso. Os trabalhadores na fábrica em Santo André (SP) aprovaram o acordo coletivo, que garante reposição integral das perdas inflacionárias pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

Principais pontos do acordo – Bridgestone

- Reajuste do INPC nos salários e piso salarial;

- PLR de R$ 11.800,00 para os trabalhadores com contrato indeterminado (adiantamento de R$ 9.000,00 em 7 de junho de 2017 e a segunda parcela em dezembro de 2017, conforme atingimento de metas).

- PLR de R$ 3.750,00 para os trabalhadores com contrato por prazo determinado (R$ 2.500,00 em 7 de junho de 2017 e a segunda parcela em dezembro de 2017, conforme atingimento de metas).

- Aumento de 5 horas no 14° salário, em cada faixa, passando para 70, 80, 90 e 100 horas, conforme previsto na clausula específica e tempo de empresa;

- Ticket alimentação para os horistas no valor de R$ 120,00 (aumento de 20%);

- Manutenção de todas as demais cláusula anteriores.